Sofá com molas ensacadas: vale a pena investir?

O sofá é um móvel importante na decoração de uma casa, ele tem um uso intenso, ocupa boa parte do espaço da sala e caro!!! Por estas razões devemos pesquisar e entender as diferenças na composição do móvel.

Diferentes tipos de tecido, tamanhos, com ou sem braço, retrátil, reclinável, sofá-cama, com ou sem pés, tudo isto precisa ser avaliado na hora da compra. Mas recentemente temos recebido dúvidas sobre a composição interna do sofá, se espuma ou mola, molas ensacadas ou mola bonnel, e a densidade ideal da espuma para sofás.

Para esclarecer estas dúvidas, conversamos com alguns especialistas da área e fizemos um guia para sua próxima compra de sofá. Confira!

 

Espuma ou mola?

A espuma é mais barata que a mola. Então a espuma oferece uma vantagem financeira importante frente a mola, porém se a ideia é investir em algo durável e confortável, sem dúvida alguma, considere um sofá de molas. Porém não se faz um sofá apenas com molas, é preciso ter um mix de espuma e mola.

Normalmente os estofados de espuma usam densidade D23, D28, D33, as nenhum destes calibres proporciona a robustez e o conforto da mola. D28 é mais indicado para sala de televisão e D33 para sala de estar.

Já o sistema de molas ensacadas ou molas pocket, as molas são ensacadas individualmente e o peso exercido por uma pessoa num lado do estofado não interfere onde outra pessoa está sentada.  Isto traz muito conforto para utilização em salas de estar e home theater.

Os sofás também possuem persintas elásticas que dão sustentação e que fazem o papel da mola em espiral usada no passado. Com relação a parte interna que fica diretamente abaixo do tecido é uma camada de fibra siliconada, uma camada muito fina pode se tornar desconfortável em pouco tempo de uso.

O ideal é experimentar o sofá e questionar a composição dele e a garantia antes de comprar. Bater o martelo antes de fazer um test-drive no sofá pode representar uma frustração ou custo extra no futuro.






 

Comentários

ir para o topo